segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

A vida é um ciclo...






Você que sente muito, que sente as dores do mundo, que chora sua dor e a do outro…
Partir parte com um pedaço da gente. Parte com o outro nossa saudade, nosso cheiro, nosso afeto. A dor da partida é intensa para todos, seja por dentro ou por fora, de forma explicita ou não. É a mistura do caos e do cosmos, da aceitação e da não compreensão. Partir é deixar ir um pouco daquilo que cativamos.
A vida é esse ciclo constante de términos e inícios. Sempre que algo nasce, antes morre alguma coisa, é assim como semente que germina, como filho que nasce, como um relacionamento que termina, como um projeto que se inicia. As coisas só começam quando outras terminam, parece óbvio mas em muitos momentos nos esquecemos disso.
É preciso deixar ir quando se sabe que é hora de partir, quando é tempo de viver outras experiências, quando o trabalho não inspira mais, quando o corpo precisa descansar, quando a magoa e a falta de perdão corroem a alma, quando o relacionamento deixa de ser construtivo e respeitoso… deixar ir quando você sabe que é preciso. Mesmo que doa, mesmo que os primeiros dias/meses/anos sejam difíceis. Libertar-se do que faz mal ou que não serve mais...
O conformismo pode nos paralisar, com o medo do que virá, do que poderá perder, dos passos incertos no desconhecido. Em contra partida, deixar ir é descobrir novos horizontes, ir além de todas as suas capacidades e se reinventar, se auto avaliar. 
A vida é um ciclo constante.
Tudo passa.
Dias difíceis passam.
Pessoas chegam e se vão.
É hora de dar um novo passo. 
De ter coragem para continuar a ter fé na vida apesar de tudo.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

A difícil arte de ser feliz

Há quem dia que a felicidade são momentos de alegria...
Há quem diga que ser feliz é coisa para poucos…
Há os que sonham com a felicidade… e esquecem de acordar!
Há aqueles que insistem em buscá-la nas conquistas materiais e passam uma vida batalhando para comprar sua felicidade…
Há os que nunca a encontram…
Há os que vivem nela e não sabem…
Há os que sabem vivê-la!
Constantemente me pego pensando sobre o que diferencia tanto as opiniões acerca da felicidade. Será ela tão polêmica assim? De tão difícil compreensão? De quase impossível conquista? Chego a preocupar-me diante de tantas opiniões se realmente sei o que seja a felicidade! Logo eu que acreditei tê-la ao meu lado como companheira!
Existe uma frase de “para-choque de caminhão” que diz mais ou menos assim: “quando não se sabe para onde vai, qualquer lugar serve!” Acredito que com a felicidade aconteça o mesmo.
Neste mundo que vivemos, ou talvez deva dizer, sobrevivemos, ao longo dos tempos, o sentido de bem viver foi mudando e acompanhando a evolução (ou talvez deva dizer involução), a transformação tecnológica, as conquistas intelectuais, as tendências globalizadas mundiais. Penso que as pessoas globalizaram também o significado da felicidade. Tendem a pensá-la como um conceito amplo, buscam alinhá-la ao sentido que o mundo comercial, social, político, religioso dá para ela.
É justamente aí que mora o perigo! Se não sei o que é a felicidade para mim (e só para mim), qualquer coisa que me digam ser a felicidade, serve. E vou atrás dela numa sôfrega busca de algo que, quando atinjo, já não me satisfaz mais… e torno a repetir: “felicidade é para poucos”… “será que existe mesmo?”…
Acho que o difícil mesmo é consultar-se com a consciência da razão e não da emoção. Olhar com os olhos internos o que vai lá dentro, no mais profundo sentido da sua própria vida. Pois caso continuemos olhando com os olhos externos, continuaremos dando o sentido externo e globalizado da felicidade e, o mais sério disto tudo, continuaremos buscando alinhá-la a um sentido que não é nosso.
Talvez aí more parte da solução do enigma “A ARTE DE SER FELIZ”
– Ela é pessoal, intransferível, personalizada e muito sua.
– Às vezes a felicidade não está ao final da sua busca, e sim, é a própria busca.- Portanto, só você pode saber do que a sua é composta para sair em busca.
– Portanto, esteja atento para não buscar em vão!
– Às vezes é necessário não escutar o que as falas externas dizem sobre o que seja a felicidade. Este som vai atingir diretamente suas emoções, e confundi-lo.
– Portanto, priorize ouvir o silêncio interno e ativar a consciência da razão. É menos gostosa que a emoção, porém, é o único meio de conseguirmos encontrar realmente o que é para nós a felicidade. Para daí, e somente a partir daí, saber buscá-la.

“Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho”
MAHATMA GANDHI



“Quantas vezes a gente, em busca da ventura,
Procede tal e qual o avozinho infeliz:
Em vão, por toda parte, os óculos procura
Tendo-os na ponta do nariz!”
MARIO QUINTANA

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Fique com alguém que...

Quando nós queremos muito uma pessoa, nós tendemos a enganar a nós mesmos. Tentamos encaixar aquele outro ser humano em posições que nunca foram dele. Clamamos ao universo para um sim em algo que já começou destinado ao não. Queremos, e então batemos o pé e fazemos pirraça feito criança para conseguir. Mas um dia, percebemos que amor tem que ser uma via de mão dupla. Amor tem que ser fácil, tem que ser bom, tem que ser complemento, tem que ser ajuda. Amor que é uma luta constante é sofrimento. Amor que rebaixa é dor. E então nós aprendemos que amor que não é amor, não encaixa, não embeleza, não serve.

Fique com alguém que não tenha conversas dúbias. Que não te enrole. Que não tenha meias palavras. Que não dê desculpas. Que não crie barreiras no que deveria ser fácil e simples. Fique com alguém que saiba o que quer e que queira agora.

Fique com alguém que te assuma. Que ande ao teu lado com orgulho. Que te apresente aos pais, aos amigos, ao chefe, ao empregado de limpeza da firma. Que segure a tua mão ao andar na rua. Que não tenha medo de te olhar apaixonadamente na frente dos outros. Fique com alguém que não se importe com os outros. 

Fique com alguém que não deixe existir zonas nebulosas. Que te dê mais certezas do que perguntas. Que apresente soluções antes mesmo dos questionamentos aparecerem. Fique com alguém que te seja a solução dos problemas e não a causa. 

Fique com alguém que não tenha traumas. Que não tenha assuntos mal resolvidos. Que saiba que para ser feliz, tem que deixar o passado passar. Fique com alguém que só tenha interesse no futuro e que queira esse futuro com você. 

Fique com alguém que te faça rir. Que te mostre que a vida pode ser leve mesmo em momentos duros. Que seja o teu refúgio em dias caóticos. Fique com alguém que quando te abraça, o resto do mundo não importa mais. 

Fique com alguém que te transborde. Que te faça sentir que você vai explodir de tanto amor. Que te faça sentir a pessoa mais especial do universo. Fique com alguém que dê sentido à todos os clichês apaixonados.

Fique com alguém que faça planos. Que veja um futuro ao teu lado. Que te carregue para onde for. Que planeje com você um casamento na praia, uma casa no campo e um labrador no quintal. Fique com alguém que apesar de saber que consegue viver sem você, escolha viver com você. 

Fique com alguém que não se esconda. Que não te esconda. Que cada palavra seja direta e clara. Que não dê brechas para o mal entendido. Que faça o que fala e fale o que faça. Fique com alguém cujas palavras complementam as suas ações. 

Fique com alguém que te admire. Que te impulsiona para frente. Que te apoie quando ninguém mais acreditar em ti. Que te ajude a transformar sonhos em realidade. Fique com alguém que acredite que você é capaz de tudo aquilo que queira. 

Fique com alguém que você não precise convencer de que você vale a pena. Que não tenha dúvidas. Fique com alguém que te olhe da cabeça aos pés e saiba, sem hesitar, que é você e só você.

Fique com alguém que te faça olhar para trás e agradecer por não ter dado certo com ninguém antes. Fique com alguém que faça não existir mais ninguém depois”.


quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Seja Bem-Vindo 2016....


Que 2016 seja um ano onde busquemos dentro de nós mesmos, nossa real essência, nossa missão neste planeta. Seja um ano mais iluminado, cheio de vitalidade para caminharmos em direção aos nossos sonhos. Um novo ano de crescimento, expansão e descobertas, diante de todas as dificuldades que vierem pela frente. Que tenhamos força e determinação para lutarmos bravamente por tudo o que desejarmos. Que seja um novo ano de luz, e que essa Luz nos guie, nos proteja e nos dê espaço e voz à nossa intuição. Nossa identidade, o que realmente somos, esteja mais forte e intenso. Onde sejamos mais confiantes, mais conscientes, mais dignos, mais leais e mais unidos. Sejamos menos egoístas, menos julgadores, menos arrogantes, menos preconceituosos e ingratos também. Que estejamos mais dispostos e mais apaixonados por nossas vidas, nossos sonhos, pelo próximo e por nós mesmos. Que seja um novo ano cheio de novas chances e oportunidades para abrirmos nossos corações, doando e recebendo amor. Que seja um novo ano para nos relacionarmos a partir da entrega sincera, do abraço apertado, da mão estendida - uns com os outros. Um novo ano de encontros, especialmente um encontro consigo mesmo. 
Um Novo Ano de evolução pessoal, mas espiritual também. Para nos tornarmos aquilo que verdadeiramente somos.
Obrigada Deus por tudo que vivi e aprendi durante esse ano todo...
Obrigada familia e amigos, que estejamos lado a lado nesse novo ciclo que vem por aí...
Obrigada 2015 por todos os aprendizados e obstáculos que vieram... 
Que venha um Ano Novo cheio de novas lições e crescimento!!!! 

FELIZ 2016!  

terça-feira, 27 de outubro de 2015

É preciso ir embora

Ir embora é importante para que você entenda que você não é tão importante assim, que a vida segue, com ou sem você por perto. Pessoas nascem, morrem, casam, separam e resolvem os problemas que antes você acreditava só você resolver. É chocante e libertador – ninguém precisa de você pra seguir vivendo. Nem sua mãe, nem seu pai, nem seu ex-patrão, nem sua empregada, nem ninguém. Parece besteira, mas a maioria de nós tem uma noção bem distorcida da importância do próprio umbigo – novidade para quem sofre deste mal: ninguém é insubstituível ou imprescindível. Lide com isso.
É preciso ir embora.

Ir embora é importante para que você veja que você é muito importante sim! 

Seja por 2 minutos, seja por 2 anos, quem sente sua falta não sente menos ou mais porque você foi embora – apenas sente por mais tempo! O sentimento não muda. Algumas pessoas nunca vão esquecer do seu aniversário, você estando aqui ou na Austrália. Esse papo de “que saudades de você, vamos nos ver uma hora” é politicagem. Quem sente sua falta vai sempre sentir e agir. E não se preocupe, pois o filtro é natural. Vai ter sempre aquele seleto e especial grupo que vai terminar a frase “Que saudade de você…” com “por isso tô te mandando esse áudio”; ou “porque tá tocando a nossa música” ou “então comprei uma passagem” ou ainda “desce agora que tô passando aí”.


Então vá embora. Vá embora do trabalho que te atormenta. Daquela relação que você sabe não vai dar certo. Vá embora “da galera” que está presente quando convém. Vá embora da casa dos teus pais. Do teu país. Da sala. Vá embora. Por minutos, por anos ou pra vida. Se ausente, nem que seja pra encontrar com você mesmo. Quanto voltar – e se voltar – vai ver as coisas de outra perspectiva, lá de cima do avião.

As desculpas e pré-ocupações sempre vão existir. Basta você decidir encarar as mesmas como elas realmente são – do tamanho de formigas.



Por: Fabrício Carpinejar via Engenheiro Andarilho.

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

"Daquilo que é óbvio, daquilo que nos faz um tanto bem maior, daquilo que nos faz amadurecer diariamente: A capacidade que a gente tem de olhar no olho, de agradecer, de poder dialogar, criticar com sensibilidade, com coragem. Que a gente saiba valorizar cada momento nosso, porque todo mundo aqui já está automaticamente em extinção; Só existe um de cada um de nós. Que a gente saiba cuidar muito disso…"
- Fernando Anitelli

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Que seja doce...

"Então, que seja doce. Repito todas as manhãs, ao abrir as janelas para deixar entrar o sol ou o cinza dos dias, bem assim: que seja doce. Quando há sol, e esse sol bate na minha cara amassada do sono ou da insônia, contemplando as partículas de poeira soltas no ar, feito um pequeno universo, repito sete vezes para dar sorte: que seja doce, que seja doce, que seja doce, e assim por diante. Mas, se alguém me perguntasse o que deverá ser doce, talvez não saiba responder. Tudo étão vago como se não fosse nada.
Que seja doce o dia quando eu abrir as janelas e lembrar de você. Que sejam doces os finais de tardes, inclusive os de segunda-feira - quando começa a contagem regressiva para o final de semana chegar.
Que seja doce a espera pelas mensagens. ligações e recadinhos bonitinhos. Que seja (mais do que) doce a voz ao falar no telefone. Que seja doce o seu cheiro. Que seja doce o seu jeito, seus olhares, seu receio.
Que seja doce o seu modo de andar, de sentir, de demonstrar afeto. Que sejam doce suas expressões faciais, até o levantar de sobrancelha. Que seja doce a leveza que eu sentirei ao seu lado.
Que seja doce a ausência do meu medo. Que seja doce o seu abraço. Que seja doce o modo como você irá segurar na minha mão. Que seja doce. Que sejamos doce. E seremos, eu sei."
- Caio Fernando Abreu